quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Lili




   São duas horas da manhã e a Lili, a gata pequena cá de casa, "o bicho rabudo com chifres" como diz a minha mãe, acabou de morrer! Uma das janelas do sotão ficou aberta, ela saltou para o telhado, caiu e os cães terminaram!

   Como é que uma coisinha tão pequenina que viveu connosco tão pouco tempo pode fazer tanta falta numa casa? Doce e tranquila Lili!

   O Gui passou o dia a exclamar " Mãe, ainda não acredito que a pequena (como nós a tratavamos) morreu! Tens a certeza?! " Como é possível num dia estar connosco e de repente já não estar?!" Chorou q.b, muito menos que eu, que passei a noite e o dia a chorar pela pequena ( não era um gato qualquer, bolas, era o meu gato e quero lá saber que achem tal facto ridículo!!) Só quem nunca viveu rodeado de animais por gosto ou tradição familiar é que pode pensar ser suave a  dor pela morte de um bichinho nosso, que viveu perto de nós, que dormia aos nossos pés ou quando mais atrevida se deitava a 20 cm da minha cara e por vezes me fazia cócegas no nariz com a sua cauda farfalhuda!
   O Vasco foi mais lacónico na manifestação da sua tristeza mas nem por isso menor: dos três irmãos é aquele com mais capacidade para tratar dos bichos, tem um toque mais natural, jeito mesmo! Se se mantiver o que pretende a ideia é ser veterinário.

   Pensando na aflição do Gui sobre a sua incredulidade em relação à morte da pequena e porque eles fizeram muitas perguntas sobre o local onde estava enterrada e se os cães a iriam desenterrar e se tinha a certeza (o Vasco) se ela estava morta, não fosse sufocar... Lá lhe dei algumas explicações sobre a transformação do corpo na passagem para a morte. Eles é que quiseram as flores, e a cruz em madeira, o Gui tratou de lhe fazer um desenho! Não me parece nada mal eles terem feito o funeral à pequena, muito pelo contrário, estão mais do que na altura de começar a conviver com a sua mortalidade e dos que os rodeiam, humanos ou não humanos.

   A partir de hoje, a buganvilia passou a chamar-se a Buganvilia da Lili.



  

   

   

   

Sem comentários:

Enviar um comentário