domingo, 20 de fevereiro de 2011

Jogo do Pau III

Um pequeno vídeo com o professor e o aluno!

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Jogo do Pau II

   Sábado, 19 de Fevereiro - primeiro treino do Jogo do Pau - local - Quinta do Martelo.

   Aula super interessante, 5 pupilos e um professor que já anda nestas andanças há uns aninhos, a ensinar novos miúdos por gosto e para evitar que esta tradição se perca. Alguns destes miúdos já têm uma qualidade muito interessante de ver; o jogo em si é muito bonito, muito dançado, alguns parecenças com a capoeira, os movimentos são elegantes e fluídos. 








domingo, 13 de fevereiro de 2011

Jogo do Pau

   Efectivamente há dias assim... na véspera sentia-me a mais miserável das criaturas, cansada, doente, pronta para me enfiar num buraco e desaparecer... no dia seguinte, a perspectiva era outra, menos sombria e auto complacente! Foi daqueles dias em que sucederam muitas coisas, simples coisas mas engraçadas; de manhã fui com o Gui comprar o presente para o "meu melhor amigo" como se tratam mutuamente! O aniversário iniciava-se ao almoço pelo que o deixei na casa do amigo; logo ali descobri que o pai do melhor amigo do meu filho era um antigo colega meu do 7º ano no ciclo; colega do qual, para meu grande embaraço, não me recordo nada mas, que se lembra muito bem de mim: que andava na ginástica e no ballet, que era muito desportista e que tratava de manter afastado todos os rapazes com segundas intenções (???!!): Será que ele era um destes?! Palavra que não vou lá nem pela cara nem pelo nome nem pelas suas memórias!!! Uma verdadeira vergonha! Após uns bons 5 minutos de conversa descubro que sou professora do seu filho mais velho e que os 3, pai e os dois filhos, praticam o antigo Jogo do Pau terceirense! Mostrou-me os paus com que treinam e deu-me algumas pequenas informações sobre jogo tão antigo que lhe foi ensinado com um senhor de 71 anos a quem ele trata por "Mestre"!  Eles treinam na Quinta do Martelo, todos os sábados pelo que lá estarei para observar um dos seus treinos! O Luís, o mais pequeno fez-me uma pequena demonstração de alguns movimentos característicos deste jogo, que tem algumas semelhanças com alguns jogos marciais e abriu-me imensamente o apetite para saber mais! 
   De regresso a casa e passando pelo Supermercado Guarita salvei de um futuro incerto o vagabundo que após uma observação mais aturada se revelou ser uma vagabunda e que recebeu o nome de Rosinha! A Rosinha passou uma noite atribulada acossada pelos ciúmes doentios do Barnabé! Este ficou tão exausto do seu ataque de nervos que tem passado o dia a dormir! O Gastão nem se chega perto porque é demasiado louco para conviver saudavelmente com outros cães! 
   À noite, uma ida com o João às urgências: boa surpresa! Foi rapidamente atendido, sem mais delongas fez um rx que acusou umas manchinhas - infecção pulmonar - a ser tratado com antibióticos. A médica, nova e bastante desembaraçada e competente resolveu-me observar também e em 30 minutos estavamos de regresso a casa! 

   Tudo está bem quando acaba bem!

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Vagabundo...

 Achei este jovem a vaguear à porta do Supermercado Guarita! Muito dócil, nada amedrontado, fiz-lhe um teste: abri a porta de trás do carro e disse: "anda!" e ele não se fez rogado; entrou como se aquele fosse o seu carro de sempre e mal entrou, deitou-se e assim permaneceu! Resolvi dar-lhe uma oportunidade: serei sua família de acolhimento temporário/definitivo. Estava um bocadinho receosa com o acolhimento do Barnabé, do Gastão nem se fala; tal como previa, o Barnabé fez um escarçeu de bradar aos céus, cão ciumento nunca vi! Neste momento estão os dois, o recém-chegado e o Barnabé, em cima do muro que dá para a estrada, um a dormir como se esta fosse a sua casa há décadas e o Barnabé a vigiá-lo, aproximando-se de vez em quando, arreganhando os dentes,  ladrando de irritação com o intruso e ainda mais irritado quando este último mostra ter uma calma e uma descontracção que o Barnabé não compreende; o Gastão, esse cão do demónio, teve que ser amarrado porque lá arranjou uma forma de se escapulir do seu espaço e veio prestar contas com o novato; com a Minervinha está tudo bem, qualquer novo elemento é bem-vindo! 
   Parece-me ser um jovem cão mas é grande e bem constituído apesar de mal nutrido! As costelas são visíveis por baixo da pele! Não receia o ser humano pelo que deve estar habituado ao seu contacto mas se tem dono, este não cumpriu os seus deveres como deveria! Nada de estranho, infelizmente!







sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

   Vasco doente, João doente, eu doente! Safa-se o Guilherme e a minha mãe, graças de Deus! Esta noite passada foi para esquecer, o João vomitou o que tinha e o que não tinha no estômago! O Vasco há três dias sem ir à escola com febre e uma tosse chatinha! Eu a ir dar hoje  a primeira aula mas logo de seguida pedir desculpa aos meninos e regressar a casa mais murcha que uma alface ressequida!
   Estou esmorecida, quando estou doente parece que tenho um camião TIR em cima de mim, não me apetece fazer nada, queria enfiar-me num buraquinho e lá ficar muito sossegadinha sem ninguém dar por mim! Mas não posso! A palavra Mãe é pronunciada "n" vezes durante o dia e a noite, tenho que estar alerta, em sentido, deixem-me em paz um bocadinho bolas... OH Mãe!!!!!!!!!!!!! o Gui utiliza a palavra até à exaustão... não estou, saí a cavalo! .. Aproxima-se um grande fim de semana, é muita gente a depender de mim... é nestas alturas que sinto uma certa solidão! Mas... tomo um brufen, o meu corpo arrebita e ganho coragem para mais uma investida nesta aventura que é a de tomar conta de 3 rapazes e uma mãe que já conheceu melhores dias!

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Silveira - 2 de Fevereiro

       O meu primeiro banho de Fevereiro: dia primaveril, chegou a aquecer q.b., o sol sempre a brilhar, quase nenhumas nuvens no céu, estado do tempo muito invulgar nesta terra; em contrapartida a água do mar muito fria deixou-me um pouco sem fôlego e de pele arrepiada! Que sensação magnífica tanto mar e não pensar em mais nada senão naquele momento!

   Alguns pescadores, um cão muito grande eram os ocupantes do cais; quando se preparavam para guardar as canas a fim de se irem embora um deles (uma mulher) disse:"vou lançar novamente, pode ser que apanhe um bodião!" ... e não é que ao fim de 1 minuto, não mais do que isso, apanhou um e bem jeitoso?!