domingo, 27 de abril de 2014

Citando....

   Após profundo estudo e aturada pesquisa sobre as citações facebookianas estou habilitada, ainda que sujeita a criticas por discordância da escolha ou da ordem atribuída, a elaborar o seguinte ranking, por ordem crescente de náusea ou aborrecimento:

10º Lugar - Citações de Madre Teresa de Calcutá, Dalai Lama, Papa Francisco ou afins, sem culpa alguma dos próprios;

9º Lugar - Citações sobre cães ou outros animais domésticos ou selvagens particularmente aquelas que dizem que não somos nada comparados com eles, que somos umas bestas quadradas porque os tratamos mal e como deveríamos vergastar-nos todos os dias no local onde nos doí mais (o local escolhido fica ao nosso critério) como penitência pelas nossas, muitas omissões para com eles;

8º Lugar: Todos aqueles posts com ou sem foto incluída em que nos falam no abandono dos idosos  e como tal situação é insuportável. Exemplo: " Não me ligam, não me cuidam, não me visitam! Filho, não se esqueça que um dia, também você vai ficar velho!"; 

7º Lugar - Todas os vídeos ou citações em que se diz que antigamente é que era bom, que andavamos sem capacete e mariquices do género e caíamos de cabeça e esfolavamos os joelhos e arrancavamos asas ás libelinhas e que tudo isso nos fez crescer saudáveis e que hoje em dia as crianças são uns bananas!

6º lugar - Todos os vídeos de desenhos animados ou não, com uma mensagem de fraternidade e igualdade e amor ao próximo destinados a deixar-nos em lágrimas e a pensar que o mundo ainda tem salvação, pelo menos naquele momento. Partilhamos estes filmes com a convicção que, fazendo-o nos tornamos seres humanos um pouco melhores;

5º Lugar - Todos as citações de gente famosa de auto-ajuda no conhecimento do EU e também para que cada qual consiga ter sucesso nos negócios; uma espécie de Mestre Fati sem termos que ir ao tugúrio do gajo para nos lançar os búzios ou o raio que o parta e sem o inconveniente dos cheiros estranhos de cenas a queimar; Há uns quantos que são muito referidos, tudo gente respeitável e que a gente trata por tu. Há um muito interessante e que tem tido, ultimamente, muito sucesso nas redes sociais, porque justamente fala em Sucesso, que é, como sabemos o objectivo de todos nós, nesta alvorada do século XXI. É do amigo Ralph W. Emerson e diz a resumir, que a citação é grande como o demónio, que devemos rir-nos muito e sermos muito condescendentes, e não darmos importância a merdas. Todos aqueles que já morreram têm normalmente mais saída, que o diga o Steve Jobs ou portuguesmente falando, o Manuel Forjaz;

4º Lugar - Todas as citações idênticas às anteriores mas em inglês, com maior impacto e cagança e sem se gramar com o português do Brasil;

3º Lugar - Citações de autor desconhecido de cariz mais ou menos poético destinado a que se ponha a mão na consciência e se sinta que se anda aqui nesta vida só a fazer merda, basicamente. Mas que ainda há a esperança de redenção, se cada um quiser, uma mensagem positiva, portanto. Um exemplo do tipo: " Uma lágrima não doí, o que doí é o motivo que a faz cair"! É lindo, senhores!

2º Lugar - Todas as citações do Eduardo Sá, nomeadamente  aquelas que são completadas com o seu rosto naquele sorriso perpétuo; aproxima-se perigosamente do primeiro lugar do ranking;

1º Lugar - Empate vitorioso, tudo o que saia da cabeça desequilibrada do Paulo Coelho ou da Margarida Rebelo Pinto, grandes vencedores deste ranking pessoal; 

p.s - uma menção honrosa ao Pedro Chagas Freitas, não sei muito bem em que lugar o ponha, à falta de melhor fica mesmo a encerrar a lista, por agora.

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Prima donna

   De vez em quando acontece... surge alguém desequilibrado! Não há forma de prever, não há sensores  nem indicadores fisiológicos que nos eriçem os cabelos da nuca como forma de aviso ante a desfaçatez; os doidos, os borderlines sociais, os desarticulados do comum bom senso aparecem não se sabe de onde nem porquê,  impõem-se e estrelam enquanto abrimos a boca num espanto; reviram e concentram a atenção em si próprios, num exercício de narcisismo com consequências para os outros, nunca para o próprio, protegidos que estão numa redoma onde não se beliscam, sequer;  fazem estragos e arreliam, constrangem e desgastam, e partem incólumes mas não sem antes, se consumirem em autos de flagelação e pena pungente de si próprios; são os mártires, os desalinhados, os incompreendidos, os iluminados, os de sensibilidade ardente e de franqueza suprema, os que falam e os que escrevem o que querem e quando querem e sobre o que querem, e onde, de tudo o que dizem, se nota delicadeza, ardor, paixão, génio, grandeza de alma, e em igual medida...e em suprema grandeza,  a estupidez, que sendo uma segunda pele, se conjuga com arrogância, arbitrariedade, incoerência, inconsequência, inconstância e um enorme, um profundo e irreprimível bocejo.