quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Padaria em Angra...

   É despojada de quase tudo, tem o pão, o papo-seco, não tem bolinhos doces nem pasteis salgados, pelo menos à vista do freguês, tem uma máquina registadora, único sinal aparente de modernidade. Quando lá passei  não tinha ninguém a atender. Adoro o ferro forjado, adoro os azulejos das paredes, as janelas vagamente aparentadas com um sonho das mil e uma noites. As fotos foram tiradas com um telemóvel, não mostram a graça da padaria. Da próxima vez levo a máquina e peço para ver mais além, não faz mal perguntar, pode ser que me deixem espreitar onde fazem o pão e onde o cozem.




Sem comentários:

Enviar um comentário