segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Golfe no cerrado

   
Aula amanhã com o professor, tinha hoje que ir bater umas bolas, esqueci-me mais uma vez que hoje o clube de golfe está fechado; dei com o nariz na porta e apetecia-me esbofetear-me por mais este esquecimento: não é a primeira vez que isto me acontece! Começo a preocupar-me, uma vez ainda se percebe, duas vezes ou é estupidez ou pré-demência!!! Quando encasqueto qualquer coisa é uma inquietação para fazer a rebobinagem e alterar a programação que na minha cabeça já estava perfeitamente definida pelo que não demorou muito até decidir ir à procura de um cerrado para o meu objectivo: nada difícil descobrir um cerrado nesta terra, o problema era escolher. Resolvi ir à cidade, atestar o depósito e ir pela ilha a dentro até descobrir um que cumprisse os meus requisitos, que era basicamente  um só: não ter touros lá dentro! Nada mais fácil, Terra-Chã acima, pela estrada que leva às Veredas, numa bifurcação corto à esquerda, subo uma canada e chego a uma zona de lavradores, de cerrados com vaquinhas brancas e pretas sem cornos maus à vista. A erva estava um bocado alta, a terra muito fofa devido a chuvas recentes, poias de vacas com fartura, silêncio absoluto exceptuando o grito de algumas gaivotas e o mugido das vacas. Um sonho! O cerradinho ficou marcado, alguns lavradores já me viram, quando passaram nas suas carrinhas a buscar o leite, nenhum deles me enxotou dali pelo que penso que vou regressar; o treino correu bem, perdi montes de bolas  mas fiquei feliz! Estes pequenos momentos são o melhor da vida, decididamente!








Sem comentários:

Enviar um comentário