domingo, 13 de fevereiro de 2011

Jogo do Pau

   Efectivamente há dias assim... na véspera sentia-me a mais miserável das criaturas, cansada, doente, pronta para me enfiar num buraco e desaparecer... no dia seguinte, a perspectiva era outra, menos sombria e auto complacente! Foi daqueles dias em que sucederam muitas coisas, simples coisas mas engraçadas; de manhã fui com o Gui comprar o presente para o "meu melhor amigo" como se tratam mutuamente! O aniversário iniciava-se ao almoço pelo que o deixei na casa do amigo; logo ali descobri que o pai do melhor amigo do meu filho era um antigo colega meu do 7º ano no ciclo; colega do qual, para meu grande embaraço, não me recordo nada mas, que se lembra muito bem de mim: que andava na ginástica e no ballet, que era muito desportista e que tratava de manter afastado todos os rapazes com segundas intenções (???!!): Será que ele era um destes?! Palavra que não vou lá nem pela cara nem pelo nome nem pelas suas memórias!!! Uma verdadeira vergonha! Após uns bons 5 minutos de conversa descubro que sou professora do seu filho mais velho e que os 3, pai e os dois filhos, praticam o antigo Jogo do Pau terceirense! Mostrou-me os paus com que treinam e deu-me algumas pequenas informações sobre jogo tão antigo que lhe foi ensinado com um senhor de 71 anos a quem ele trata por "Mestre"!  Eles treinam na Quinta do Martelo, todos os sábados pelo que lá estarei para observar um dos seus treinos! O Luís, o mais pequeno fez-me uma pequena demonstração de alguns movimentos característicos deste jogo, que tem algumas semelhanças com alguns jogos marciais e abriu-me imensamente o apetite para saber mais! 
   De regresso a casa e passando pelo Supermercado Guarita salvei de um futuro incerto o vagabundo que após uma observação mais aturada se revelou ser uma vagabunda e que recebeu o nome de Rosinha! A Rosinha passou uma noite atribulada acossada pelos ciúmes doentios do Barnabé! Este ficou tão exausto do seu ataque de nervos que tem passado o dia a dormir! O Gastão nem se chega perto porque é demasiado louco para conviver saudavelmente com outros cães! 
   À noite, uma ida com o João às urgências: boa surpresa! Foi rapidamente atendido, sem mais delongas fez um rx que acusou umas manchinhas - infecção pulmonar - a ser tratado com antibióticos. A médica, nova e bastante desembaraçada e competente resolveu-me observar também e em 30 minutos estavamos de regresso a casa! 

   Tudo está bem quando acaba bem!

Sem comentários:

Enviar um comentário